Armazéns da Esso no inicio da década de 60 segundo o IBGE. Ao fundo as Vilas Cachoeirinha e Ipiranga.
Fonte: Acervo IBGE

   Os armazéns da Esso se localizavam às margens do antigo ramal da Central do Brasil que tinha origem no Horto, ao lado das Oficinas da Central. O ramal, que também transportava passageiros atendia ao Matadouro no bairro São Paulo e da Rua Jacuí, que integrava a antiga estrada municipal que dava acesso a Santa Luzia e ao Matadouro. Na imagem acima se pode ver além dos armazéns o Córrego da Cachoeirinha em seu leito natural, atualmente canalizado e a Vila de mesmo nome, além da Vila Ipiranga, situada à esquerda na parte superior da imagem. É interessante observar que a Rua Jacuí configura-se como o único acesso dessa porção da capital com a região central no período abordado. Ela fazia parte de uma rede de estradas municipais que partiam da região central e que foram ao longo das décadas absorvidas pelo constante crescimento da malha urbana de Belo Horizonte se transformando, em alguns casos em vias locais, atendendo aos bairros que nasceram no seu entorno.
   Já o ramal férreo que partia das oficinas da Central, ainda existentes no bairro do Horto desapareceria em 1969, por ser considerado antieconômico e o seu leito hoje se encontra em grande parte absorvido pela malha urbana, com exceção de um pequeno trecho utilizado pelo Metrô.
  Outro fato que chama a atenção do observador é a presença de uma propriedade rural à esquerda dos armazéns, remanescente da antiga zona rural de Belo Horizonte destinada ao seu abastecimento, cuja casa ainda existe, com algumas modificações. Essas propriedades, com a expansão urbana da capital foram sendo gradativamente fragmentadas e loteadas, dando origem a diversos bairros que circundam a Zona Urbana – leia-se Avenida do Contorno, da capital.


Rua Jacuí, antiga estrada municipal que dava acesso a Santa Luzia e posteriormente ao Matadouro sinalizada em parte da Planta de 1922.
Fonte: PANORAMA de Belo Horizonte; Atlas Histórico. Belo Horizonte: FJP. 1997.


Armazéns da Esso em destaque no mapa de 1955. Em vermelho pode-se ver algumas das antigas estradas municipais.
Fonte: Acervo do Autor


Os armazéns sinalizados na Planta Cadastral de 1954.
Fonte: PANORAMA de Belo Horizonte; Atlas Histórico. Belo Horizonte: FJP. 1997.

  Com a construção do Túnel da Lagoinha e a abertura da Avenida Cristiano Machado na década de 70 toda essa extensão de terras foi rapidamente absorvida pela malha urbana de Belo Horizonte. É bom lembrar que essa região no período abordado era considerada pelo Poder Publico prioritária para a expansão da capital. A abertura da avenida fragmentou a Rua Jacuí, que foi cortada pela nova via.
  Atualmente grande parte dos terrenos do antigo armazém estão ocupados por uma concessionaria de automóveis. A profunda mudança espacial ocorrida nas ultimas décadas erradicou totalmente da paisagem qualquer resquício do armazém que existiu ali, assim como grande parte das vias de acesso que levavam a ele, exceção a Rua Jacuí que ainda desempenha um papel importante de ligação entre os inúmeros bairros que compõem o seu entorno com a região central de Belo Horizonte.


Antigo leito do ramal da E.F.C.B. sinalizado na imagem acima. Em destaque está uma parte da Rua Jacuí que desapareceu quando da abertura da Avenida Cristiano Machado em 1971.
Fonte: Google Earth

Imagem de Satélite onde está destacada a área dos antigos armazéns.
Fonte: Google Earth

Rios Invisíveis da Metrópole Mineira

gif maker Córrego do Acaba Mundo 1928/APM - By Belisa Murta/Micrópolis